sexta-feira, 29 de março de 2013

Hoje é Sexta-Feira Santa

Naquele tempo, Pilatos mandou levar Jesus e flgelá-lo. Depois, os soldados entrelaçaram uma coroa de espinhos, cravaram-lha na cabeça e cobriram-no com um manto púrpura; e aproximando-se dele diziam-lhe: «Salve! Ó Rei dos judeus!» E davam-lhe bofetadas.

 
Pilatos saiu de novo edisse-lhes: «Vou trazê-locá fora parasaberdes que eu não vejo nele nenhuma causa de condenação.» Então, saiu Jesus com a coroa de espinhos e o manto de púrpura. Disse-lhes Pilatos: «Eis o Homem!»
Assim que viram Jesus, os sumos sacerdotes e osseus servidores gritaram: «Crucifica-O! Crucifica-O!» Disse-lhes Pilatos:«Levai-O vós ecrucificai-O. Eu não descubro nele nenhum crime.» Os judeus replicaram-lhe: «Nós temos uma Lei e, segundo essa Lei, deve morrer, porque disse ser Filho de Deus.»
Quando Pilatos ouviu estas palavras, mais assustado ficou. Voltou a entrar no edifício dasede e perguntou a Jesus: «Donde és Tu?» Mas Jesus não lhe deu resposta. Pilatos disse-lhe, então: «Não dizes nada? Não sabes que tenho o poder de te libertar e o poder de te crucificar?» Respondeu-lhe Jesus: «Não terias nenhum poder sobre mim, se não te fosse dado do Alto. Por isso, que me entregou a ti tem maior pecado.»
A partir daí, Pilatos procurava libertá-lo, mas os judeus clamavam: «Se libertas este homem, não és amigo de César! Todo aquele que se faz rei declara-se contra César.»
Ouvindo estas palavras, Pilatos trouxe Jesus para fora e fê-lo sentar numa tribuna, num lugar chamado Lajedo, ou Gabatá em hebraico. Era o dia da Preparação da Páscoa, por volta do meio-dia. Disse então aos judeus: «Aqui está o vosso Rei!» E eles bradaram: «Fora! Fora! Crucifica-O!» Disse-lhes Pilatos: «Então hei-de crucificar o vosso Rei?» Replicaram os sumos sacerdotes: «Não temos outro rei, senão César.» Então, entregou-O para ser crucificado. E eles tomaram conta de Jesus.
Jesus, levando a cruz às costas, saiu para o lugar chamado Lugarda Caveira, que em hebraico se diz Gólgota, onde O cruficicaram, e com Ele outros dois, um de cada lado, ficando Jesus no meio. Pilatos redigiu um letreiro e mandou pô-lo sobre acruz. Dizia: «Jesus Nazareno, Rei dos Judeus» (...)

(...) Junto à cruz de Jesus estavam, de pé, sua mãe e a irmã de sua mãe, Maria, a mulher de Cleofas, e Maria Madalena. Então Jesus, ao ver ali ao pé a sua mãe e o discípulo que Ele amava, disse à mãe: «Mulher, eis aí o teu filho!» Depois, disse ao discípulo: «Eis a tua mãe!» E, desde essa hora, o discípulo acolheu-a como sua.

Depois disso, Jesus, sabendo que tudo se consumara, para se cumprir totalmente a Escritura, disse: «Tenho sede!»
Havia ali uma vasilha cheia de vinagre. Então ensopando no vinagre uma esponja fixada num ramo de hissopo, chegarm-lha à boca. Quando tomou o vinagre, Jesus disse: «Tudo está consumado.» E, inclinando a cabeça, entregou o espírito.
Jo19, 1-30
 

Jesus fez tudo isto por todos nós, para nos salvar e resgatar. Foi por todos nós que Ele se entregou gratuitamente, pelo nosso amor, e, com este grande acto de amor Ele pagou as nossas dívidas e levou todos os nossos pecados.

«Nós vos louvamos e bendizemos, ó Jesus, porque remistes o mundo pela vossa Santa Cruz»

Sem comentários: