domingo, 18 de novembro de 2012

Sínodo Diocesano:
"A verdade libertará"

A primeira assembleia sinodal da Diocese de Beja, com abertura marcada para 1 de Dezembro, tem como principal objetivo envolver todas as comunidades católicas num caminho de redescoberta da fé.
Em entrevista concedida à Agência ECCLESIA, o bispo de Beja, D. António Vitalino, sublinha que “a prática cristã na região tem vindo a decrescer, sobretudo ao nível dos sacramentos” e passou progressivamente a ser vista como “uma coisa das mulheres e crianças”.
“É preciso ajudar os alentejanos a redescobrirem a proposta da fé, que não é só para um conjunto de eleitos ou para o clero mas é também para eles. O grande desafio é que todos aqui sintam alegria por serem membros da Igreja e de a testemunharem e partilharem com os seus contemporâneos”, aponta o prelado.
Com o lema “A verdade libertará”, o Sínodo Diocesano de Beja coincide no tempo com dois acontecimentos marcantes para a Igreja Católica: A abertura do Ano da Fé, com início a 11 de outubro passado, e a celebração do 50.º aniversário da abertura do Concílio Vaticano II (1962-1965).
Surge ainda numa altura em que a hierarquia eclesial procura soluções para implementar uma “nova evangelização” e para atender à crise económica que afeta a sociedade.
Para o bispo de Beja, a “melhor forma” de encarar estas duas realidades é reforçando o sentimento de pertença dos fiéis a uma “verdade, que é Jesus”, que “ajuda a viver os grandes dinamismos da Igreja” e ao mesmo tempo “cura e liberta a pessoa humana de muitas crises, mesmo que estas sejam de ordem mais temporal e terrestre”.
Através das reflexões que irão ser propostas durante a assembleia sinodal, pretende-se “envolver os cristãos na descoberta daquilo que é a sua realização plena, tendo em conta o contexto em que vivem”, salienta D. António Vitalino.
Citando o apelo deixado pelo Papa na mensagem apostólica com que convocou o Ano da Fé, o responsável católico desafia as paróquias e comunidades de Beja a “não terem medo” de abrir a “porta da fé” que também é este Sínodo.
O prelado exorta ainda os católicos a emprestarem a sua “criatividade” à realização daquela grande assembleia diocesana, na certeza de que “muitas maravilhas se irão concretizar”.
De acordo com o Código de Direito Canónico (CDC), devem ser convocados pelo bispo quando “as circunstâncias o aconselharem”, depois de ouvido o Conselho Presbiteral, órgão constituído por representantes dos padres.
A assembleia sinodal de Beja deverá decorrer até 8 de dezembro de 2015, data simbólica que pretende assinalar o 50.º aniversário do encerramento do Concílio Vaticano II.
 
(In, Agência ECCLESIA)
 
 
 
Oração pelo Sínodo Diocesano:
 
 
Senhor Jesus,
mestre e guia da Igreja,
fonte de comunhão e da missão:
renovai entre nós os prodígios do Pentecostes.
Tornai-nos dóceis à voz do Espírito
e disponíveis para vencer os obstáculos,
abertos à conversão pessoal e comunitária,
e a uma verdadeira renovação pastoral.
Fazei de nós uma Igreja de comunhão
em permanente estado de missão.
Fazei com que as comunidades cristãs,
edificadas pela Vossa Palavra
e fortalecidas pela Eucaristia,
se tornem um só coração e uma só alma,
atentas às angústias e às esperanças
dos que vivem nesta terra alentejana.
Ó Senhor,
nós Vos louvamos e agradecemos
pela nossa Igreja diocesana.
Para que o caminho sinodal
seja uma ocasião de resposta ao Vosso amor,
nós nos confiamos
à intercessão da Santíssima Virgem Maria,
de São José, padroeiro da nossa Diocese,
e de São Sisenando, patrono da cidade de Beja
e a todos os santos e santas
padroeiros das paróquias e comunidades.
Amen.

Sem comentários: